sexta-feira, 30 de novembro de 2012

UMA QUESTÃO DE CONFIAR

       Por Sandrini

       Ola, lobonautas!
       Andei sumida, sentiram a minha falta? Hoje volto com um tema meio complicado, uma coisa pela qual todos passam, mas poucos sabem realmente dizer. O problema de auto-confiança, ainda mais quando se está trabalhando com oráculo.

       Pêndulo, tarô, espelho, borra de café, folhinhas de chá, quiromancia, runas, chama de vela, pingos de cera na água; não importa o método que você use, sempre existira mais do que a ferramente usada no trabalho. Existe a ferramente, existe você; existe a conexão entre vocês; existe o quão apto com a ferramenta você está; existe o tempo de experiência com essa ferramenta; e existe sua auto-confiança.

       Confiança é mais do que conseguir andar na rua de queixo erguido, sentir-se pessoa poderosa e especial, em todo seu poder e glória. Auto confiança é saber que faz algo bem o suficiente para acreditar em si mesmo, para saber que existem poucas chances de errar naquilo.


       O que isso tem a ver com os oráculos? É imprescindível que você confie! Muitas vezes nós ignoramos nosso tato. Ignoramos nossa intuição, aquela vozinha na nossa cabeça, aquele sentimento de que devemos fazer isso ou aquilo, ou não ir a determinado lugar. Achamos besteira, achamos que estamos errados, o mundo falou que isso é besteira, enfim;, mas é por isso que é tão importante ter confiança em si mesmo. Saber que pode confiar no sentimento.

       É imprescindível que você confie na ferramente que está usando em suas previsões. Uma junção de coisas, algumas descritas acima, formam a confiança que você terá nele e em você mesmo. Por incontáveis vezes, fiz minhas previsões para mim mesma ou para amigos próximos, e vendo o que não queria ver, mas sendo a verdade que mais cedo ou mais, iria aparecer, preferi dizer (seja para outra pessoa ou para mim mesma) que poderia estar errada, que o dia não estava favorável para o jogo, ou que estava cansada demais e pode ter interferido.


       Resultado? Mais cedo ou mais tarde, acontecia o que estava previsto. Não mudei meu caminho, não interferi para que nada mudasse, apenas acreditei que não iria acontecer. Mais uma vez, acertei nas cartas mas preferi acreditar que estava errada. Numa coisa em que eu sei ser suficientemente boa, preferi enganar-me.
      
Por isso eu digo, não apenas para com os oráculos, mas em tudo que se faz na vida, é importante que tenha auto-confiança. O que venho falar aqui hoje, então, é para que acreditem nos dons que vocês tem, sejam eles quais forem. Tenham confiança em vocês mesmo, pois isso, essa autoafirmação, é uma satisfação melhor do que tentar convencer os outros disso.

 Dica: Se você trabalha com algum oráculo, é interessante ter um diário apenas para ele, assim você sempre poderá comparar seus jogos antigos com os mais recentes, e sempre poderá consultá-lo para ver se está de acordo com os acontecimentos presentes.

       Espero que tenham gostado!
       Nos vemos na próxima.
       Abraços, pequenos lobos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário