terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Primeiro Provérbio

 Por Fernando Coelho

"Abidã?"
"Sim, Majestade."
"Qual é o sentido deste provérbio: 'Prepara com antecedência teu trabalho e torna-o apropriado para ti, no campo; depois trata de construir tua casa'. (Provérbios, 24:27)?"
 O receio de Abidã era justamente esse. Ele setia um nó no estômago por estar tão próximo do rei, em seu pátio privado, e ainda ter de responder a uma pergunta do homem mais poderoso e rico do mundo.
 "Eu não sei. Não sou tão inteligente. Sinto muito se desaponto o senhor, Majestade."
 "Não ter uma resposta não é uma desgraça, filho. Pior é não procurá-la. Escute novamente o provérbio."
 Salomão voltou a recitar as palavras e esperou.
Abidã sentiu um frio na espinha e repetiu o provérbio: "Prepara com antecedência teu trabalho e torna-o apropriado para ti, no campo; depois, trata de construir tua casa."
 "Ótimo. Volte a repeti-lo", pediu o rei.
 Abidã repetiu o provérbio três vezes.
 "Agora você domina as palavras, mas não compreende o sentido. Diga-me o que o dito quer dizer."
 Por um momento, Abidã considerou a possibilidade de mentir, mas agir dessa maneira desonraria seu pai e certamente irritaria o rei.
 "Ensina que construir uma casa não é importante. O que mais importa é trabalhar duro."
 "Essa grandiosa morada, que você acabou de conhecer, você acha que não é importante?", perguntou Salomão, com certo olhar de desaprovação.
 "Não, é claro que não acho isso, Majestade. É uma obra grandiosa, a melhor que qualquer homem já construiu em todos os tempos."
 "Você tem razão."
 "Eu dei a resposta errada à vossa pergunta."
 "Nesse caso, você também tem razão", afirmou Salomão , agora sorrindo. "Tente novamente."
 Abidã refletiu por alguns instantes.
 "O provérbio ensina que, se  um homem não satisfizer sua necessidades imediatas, não poderá satisfazer suas necessidades futuras", disse o rapaz rompendo o silêncio.
 "Exatamente!", exclamou o rei. Então, Salomão deu um tapinha no ombro de Abidã, mas com força suficiente para o rapaz sentir uma pontada de dor percorrer seu corpo. "Mas há algo mais. Por que o campo primeiro e  a casa depois?"
 Abidã voltou a refletir.
 "Se um homem não plantar em seu campo, sua família não terá comida. Uma bela casa não terá serventia para ele."
 "Zera sentirá orgulho de você. Diga-lhe que gostei de você."
 "Obrigado, Majestade."
 "Mas há mais coisas a aprender. Você e seu pai cultivam a terra?"
 "não, Majestade", respondeu Abidã balançou a cabeça. "Meu pai é carpinteiro e me ensina sua arte." Ele tinha certeza de que o rei já sabia disso.
 "Então, o provérbio é inútil para você?"
 Salomão caminhou até uma fonte, sentou-se em um banco de pedra entalhado e à mão e fez um sinal para Abidã sentar-se ali também.
 Abidã desconfiou que a resposta a essa perguntar era "Não".
 "Os provérbios podem ter mais de um sentido", disse.
 "Muito bem, Abidã. E que sentido esse provérbio tem para você?"
 A mente de Abidã era testada mais  e mais a cada nova pergunta.
 "Eu...Eu estou desapontando o senhor, Majestade."
 "Não, Abidã", respondeu Salomão de modo carinhoso, e prosseguiu: "Você  não está me desapontando. Você está aqui para aprender. A sabedoria é alcançada por aqueles que a procuram e não por aqueles que a esperam. Você entende?"
 "Sim."
 "Então, diga-me o que o dito quer dizer para você."
 Abidã fez uma pausa prolongada e começou a responder lentamente.
"Se é sensato que um agricultor primeiro cuide do seu campo, para que sua família tenha comida, fazendo isso antes de construir sua casa, então... então... eu devo primeiro... realizar hoje o trabalho que contribuirá para um bom amanhã."
 Salomão riu com intensidade. Sua risada ecoou pelo pátio, fazendo as pombas levantarem voo.
 "Sim, Abidã, a sabedoria o encontrou e você a encontrou.!
 O rei se inclinou para a frente e mergulhou seu dedo na água da fonte.
 "Como esta água chegou ao meu dedo, Abidã?"
 "O senhor colocou o dedo na água."
 "E como a aguá chegou ali?"
 "imagino que alguém levou a água à fonte", respondeu Abidã, franzindo a sombrancelha.
 "E...?"
 "E levou a água porque a fonte foi construída, e a fonte foi construída porque o pátio foi construído, e o pátio foi construído porque o palácio..."
 "Acho que você achou  o caminho, Abidã. O homem sábio faz a primeira coisa  em primeiro lugar, a segunda coisa em segundo e assim por diante." "mas como eu sei qual é a primeira coisa?"
 "Você veio até aqui hoje, não?"
 "Sim, Majestade."
 "Qual foi o primeiro caminho que você pegou?"
 "Aquele na frente da minha casa."
 "Um homem e seu trabalho, e seu dinheiro, são a mesma coisa. Você começa onde está, mas também precisa ter um destino. Um homem trabalha hoje, mas seu pensamento está no amanhã."
  "Então, para alcançar a sabedoria, devo pensar no amanhã enquanto trabalho hoje."
  Salomão fechou os olhos e virou o rosto para o sol matinal.
 "Isso parece simples para você, Abidã?"
 "De certa maneira, Majestade, mas não tão simples assim."
 "De fato, a sabedoria é simples, mas a prática não é fácil." O rei abaixou o rosto e contemplou Abidã. "O  homem sábio traça um plano e trata de cumpri-lo."
 "Compreendo."
 Salomão e Abidã escutaram um pigarro educado atrás deles. Viraram-se O criado que conduzira Abidã ao pátio estava parado a uma curta distância, mas se mantinha em silêncio. Salomão assenti com um movimento de cabeça.
 "Preciso ir.  Verei você amanhã, Abidã. Mande minhas lembranças cordiais ao seu pai e à sua mãe."
 "Amanhã?"
 "Um homem não alcança a sabedoria em um único dia, Abidã", afirmou Salomão, pondo-se de pé.

2 comentários:

  1. Amando os posts! nada como o Rei Salomão para nos inspirar com seus provérbios...

    ResponderExcluir