quarta-feira, 6 de julho de 2011

LOBOTECA: resenha "Destino de Ally Condie"

por Carolina Mylius
Olá pessoal!!
Essa resenha foi feita primeiramente para o blog Vida de Leitor.


Destino é o segundo livro com o tema futuro distópico que eu li e talvez por isso não tenha me agradado tanto quanto imaginava. Não depois de ter lido o sensacional Jogos Vorazes.
Imagine ter sua vida totalmente controlada pelo governo (na história esse governo é chamado de Sociedade). Você não tem direito a escolher o que come, o que veste, onde vai, nem mesmo com quem vai casar. Essa é a premissa do livro que é narrado sobre o ponto de vista de Cassia, uma adolescente que, no aniversário de 17 anos, está prestes a realizar um de seus grandes sonhos: conhecer o seu par. Na verdade o par que a Sociedade destinou para ela.


E para sua surpresa, o par escolhido é Xander, seu melhor amigo. Mas não é apenas de Xander as imagens que estão não cartão que ela recebe com as informações sobre o seu par. A imagem de outro garoto também surge na tela; ele é Ky, seu vizinho e colega de escola. Esse incidente, (teoricamente um erro de informação cometido pela sociedade) aliada a outras situações que ocorrem na vida de Cassia, a levam a questionar o seu direito de escolha e a forma de controle que a Sociedade tem sobre todas as pessoas além de despertar o interesse por Ky a deixando dividida entre os dois garotos.

O livro me atraiu primeiramente pela capa que é linda e tem tudo a ver com a história. E também pelos comentários e resenhas que li em blogs. Tinha grandes expectativas sobre ele. Mas achei o livro bem chato no início, ele tem pouca ação e se resume a narrar a vidinha totalmente planejada e rotineira de Cassia e seus questionamentos e angústias. Angústias que eu também sentia com ela. Em vários momentos eu tinha vontade de gritar.

Para todos os habitantes essa é a sociedade perfeita onde tudo é igual para todos, mas se essa é a sociedade perfeita prefiro continuar com a nossa.
Imagina nem poder escrever a mão ou desenhar, que pesadelo!!! Ninguém pode criar nada apenas copiar aquilo que foi determinado como bom pela Sociedade o que são apenas 100 poemas, 100 canções, 100 pinturas e 100 histórias.

Um dos pontos altos do livro é Ky, um garoto considerado aberração pela Sociedade e que busca levar uma vida no anonimato mas que nem por isso baixa a cabeça e permite ser controlado. A cenas dele com Cassia são as melhores do livro na minha opinião. Apesar de achar o Xander uma gracinha também.

Outro personagem que gostei muito foi o avô de Cassia. Mesmo que tenha sido uma participação curta ele deixou sua marca no desfecho da trama plantando a sementinha da dúvida nas crenças de Cassia sobre essa vida perfeita estipulada pela sociedade.

Até uma certa altura do livro eu pensava em não continuar a série mas os capítulos finais me fizeram mudar de ideia. Acho que a história promete bons momentos em Crossed, próximo livro da série e pretendo saber como a história vai terminar.

Eu o considero 3 estrelas mas acho que a história tem tudo para ficar muito interessante nos próximos 2 volumes. Recomendado para quem gosta da temática distopia.

Um abraço,
Carol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário