sábado, 15 de março de 2014

O mito do touro manso


Tenham paciência taurina, o texto é longo.

   Um ledo engano arraigado no inconsciente popular, é a crença de que os signos de terra são mansos e passivos. Grande parte desse erro crasso vem da própria concepção mais aceita sobre os filhos da terra: fixo, estável, frio. Mas vem também de um equívoco de interpretação da ciência formal, sempre acreditamos que estamos em terra firme, seguros, fixos, nem nos lembramos que há terremotos e erupções vulcânicas, até elas nos pegarem de surpresa. Aliás, para quem não sabe, maremotos, tsunamis e alguns furacões, também são causados por terremotos no fundo do mar.

   Há uma comparação aparentemente tola que os geólogos fazem, mas que é muito fiél à realidade. Se a Terra fosse uma maçã, a terra firme seria e teria a espessura de sua casca. Confusos? Vocês se impressionam demais com os números das petrolíferas e dos mergulhos dos batscafos. A maioria de vocês percorre, todos os dias, distâncias maiores do que as profundidades que eles propagandeiam. O ponto mais profundo do Oceano Pacífico, a Fossa das Marianas só chega a onze quilômetros. Mesmo depois dessa profundidade ainda há a crosta, que tem entre trinta e oitenta quilômetros de espessura. Parece muito? Pois a terra tem cerca de 12.756km de diâmetro.

   Vejamos agora, reticências... Temos entre trinta e oitenta quilômetros de terra sólida, mas quase treze mil de diâmetro total, essa terra sólida sustenta inclusive os oceanos... Então, de que é feito o resto dos mais de doze mil e quinhentos quilômetros restantes de planeta? Eu respondo, dois pontos: Magma. Em palavras miúdas, uma mistura de terra, rochas, silício, ferro, e outros metais derretidos, com temperaturas que variam de 3500°C a mais de 5000°C, em seu núcleo.

   Ok, a litosphera é um isolante térmico extremamente eficaz, permitindo que as águas profundas sejam frias, mas ainda assim os vulcões submarinos costumam soltar grandes quantidades de magma e gases sulfurosos quentes, às vezes a mais de 300°C. Só a pressão esmagadora das fossas abissais para manter a estabilidade da fase líquida, nessas condições. Ah, aqui temos mais um perigo do mito: Pressão. Logo falaremos a respeito.

   Essa eficácia térmica é o que nos permite enfrentar temperaturas amenas, com a de Dezembro do ano passado, quando os cariocas chegaram a suar em frescos 50°C. Do que estão reclamando? As coisas poderiam estar bem piores, imaginem se a poluição se dissemina pelos oceanos e eles passam a absorver e conduzir mais calor!

   Agora vocês devem estar se perguntando, e se não estão tratem de se perguntar, se os astrólogos não cometeram algum equívoco, ao fazer a analogia entre Touro, Virgem e Sagitário a um elemento tão traiçoeiro! Bem, vou deixar vocês pensando por uns minutos, assistam a um desenho enquanto isso.


   Pronto? Pensaram? Então vamos lá, os astrólogos não cometeram erro algum! Nós é que somos escravos plácidos do senso comum e suas limitações estúpidas. A analogia é perfeita, mostra exactamente o que é um signo de terra. Sim, ele tem solidez; Sim, ele tem estabilidade; Sim, ele é confiável; Não, ele não tem paciência infinita! Só porque o touro parece ser mole, lerdo e eternamente meditativo, não significa que ele não vá avançar subitamente sobre vocês, a mais de cinqüenta quilômetros por hora com seus mais de setecentos quilos; mas pode passar de uma tonelada.

   Lembrem-se das lições básicas de magia, a terra tem em si todos os outros três elementos, e pode facilmente se converter em qualquer um deles, às vezes sem que os incautos percebam. É assim que um terremoto transforma o mar calmo em um tsunami devastador, contamina térmica e cineticamente a atmosphera e provoca furacões gigantescos, enterra cidades inteiras debaixo de rocha derretida, bloqueia a luz do sol até por meses com milhões de toneladas de fuligem e particulados em suspensão... Aliás, o próprio terremoto é um aviso claro de que a estabilidade é passageira e precisamos ficar atentos sempre.

   Por que? Porque nos acomodamos fácil no conforto das aparências, geralmente não percebemos que estamos irritando o Minotauro! Ele pede de forma tão aparentemente calma, com sua voz aveludada e gostosa de se ouvir, que tendemos a acreditar que ele está brincando! Nós nos acostumamos a acreditar que um pedido educado não deve ser levado à sério, até descobrirmos que o Exu Caveira estava nos chamando de "senhor" por civilidade, e não por mansidão. Ele só pede respeito. A terra só pede respeito.

   Os signos da terra quase nunca percebem, mas são mestres dos quatro elementos. O facto de quase nunca perceberem aumenta o perigo, porque assim ele dificilmente consegue controlar seus rompantes. Prestem atenção aos detalhes e vocês verão coisas inusitadas, que fogem completamente aos seus conceitos. O taurino, principalmente, é um chantagista emocional de marca maior, às vezes faz inveja aos cancerianos mais orgulhosos de suas pitangas. É muito emotivo, por isso mesmo chora e se lamenta de forma tão sentida, mas tão cordial, que às vezes faz até os arianos se sentirem culpados. Mas essa mesma emotividade camuflada, ô bicho tinhoso!, pode fazê-lo sentir subitamente uma raiva tão profunda que até o escorpiano ficaria com receio de se aproximar. Ou vocês pensam que o veneno de alguns escorpiões faz mal a um touro adulto? Só o deixam mais furioso ainda e, o que é pior, quase sempre uma fúria cega.

   Outro erro fatal é acreditar que a força, a solidez, o foco nos resultados, a disposição para o trabalho árduo e a resistência dos elementos terra, são sinônimo de independência completa. ERRADO!!! Não se iludam com a discrição com que um capricorniano retribui um carinho, é da natureza dele ser austero, mas ele precisa de carinho tanto quanto qualquer um, às vezes mais. O facto de os terrosos não demonstrarem certas emoções em público, vem justo da característica de frieza, que não deve ser confundida com frieza de emoções. Por dentro (chegamos ao ponto) existe uma pressão emocional incomparável. Acontece que eles sustentam o mundo, não têm tempo para mi-mi-mi! Por isso explodem quando menos esperamos.

   Tu, ariano, que pensas ser o suprassumo da agressividade, experimente trocar uma só cabeçada com um touro. Ele tem mais do que o dobro da tua massa, no mínimo, te arremessa para longe! Com tamanha pressão contida em um coração quente, a explosão de um elemento terra é a antessala da desgraça. Quem não tem o bom hábito de assistir a documentários, nunca viu um leão fugir apavorado de um touro selvagem furioso. Viu, leão? Vê se controla esse teu orgulho, antes que sejas obrigado a engoli-lo a seco para não seres esmagado. Os terrosos, ainda que não demonstrem em público, e não vão demonstrar nem que a vaca tussa, precisam muito de um cafuné. É como se as placas tectônicas deslizassem mais suavemente sobre a bolha de rocha derretida sobre a qual flutuam, e as tensões pela pressão que enfrentam fossem aliviadas. Nem sempre sexo é o objectivo, mas dormir no sofá mesmo, por alguns minutos, no abraço de uma pessoa específica... Aqui a solidez, a estabilidade e o comportamento frio que tanto apreciamos se revigoram, e as recompensas generosas não tardam a chegar.

   Aliás, um aviso aos navegantes, Wallstreet está brincando com fogo. Aquela representação de touro selvagem, na qual todos os especuladores focam, é de um poder sem comparação. Os elementos de terra são generosos, mas o touro está sendo usado para fins egoístas, e é um touro selvagem! As crises que tivemos não foram as últimas, simplesmente porque o egoísmo inconseqüente de quem se acha um adulto respeitável continua firme. Aquilo não é e nunca foi capitalismo de verdade. Um dia aquele touro vai cobrar pelos seus serviços, por enquanto está apenas mandando as faturas e estão todas atrasadas! Quando ele cobrar, não vai restar nem o alicerce das bolsas de valores para contar história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário