quinta-feira, 6 de março de 2014

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

Muita gente me pergunta se sofri ou sofro algum tipo de preconceito pela minha religião. Nunca encarei preconceito por causa disso. Pelo contrário, as pessoas ficam curiosas e fiz amizades com monges franciscanos, padres católicos, arcebispos anglicanos, pais e mães de santo, ciganos, enfim, nunca tive problemas com nenhuma religião, não diretamente. Alguns leitores reclamaram que tiveram suas Wiccas queimadas, mas sempre peço que não escondam o que estão lendo. Mostrem para seus pais. O medo e o ódio só nascem onde não há luz do conhecimento. Quando conhecemos , não temos mais medo. Muitos fizeram isso e deu certo! Os pais passaram a ler também! 

Foto tirada no castelo de Bunratty, Irlanda, onde meus bruxos caminhavam livremente entre igrejas e castelos.

Claro que há fanáticos por aí, até mesmo dentro do meio wiccano. São pessoas que vivenciaram o extremo do fanatismo em outra vida e voltam nessa numa religião diferente para ter uma nova experiência, um novo ponto de vista. Infelizmente, acabam cometendo o mesmo erro. Um fanático católico pode vir a ser um wiccano fanático numa próxima vida, pois ainda não aprendeu a lidar com o ego. Quando dominamos o ego, entendemos que todos têm o seu caminho e não cabe a nós julgar. Então, a ira desaparece e nos tornamos sábios e harmoniosos. Por isso, sempre observe o comportamento das pessoas. Se elas agem com ódio, não são sábias. Se elas pregam constantemente a ira e a intolerância a outros grupos ou pessoas, não estão num nível elevado de evolução. Aplica-se a lei de criação de personagem aqui: a pessoa é o que ela faz, não o que ela diz que é.





Nenhum comentário:

Postar um comentário