quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Cigano Ferran

Por Sandrini  e Fernando Coelho

 Queridos lobonaltas estamos preparando mais matérias ciganas e em breve publicaremos, por  hoje vamos conhecer a historia do cigano Ferran, para as garotas que adoram um homem de olho verde ou azul vai adorar conhece-lo.
 Na noite de treze de dezembro de 1710, no sul da Espanha, numa época de inverno rigoroso, nasceu o pequeno Ferran, filho da cigana Carmelita. Foi uma noite de muita alegria no acampamento. Ao redor da fogueira, que espalhava uma luz alaranjada, os ciganos dançaram alegremente, ao som de violinos.

O tempo foi passando e, quando o lindo ciganinho completou três meses Carmelita observou algo de estranho em seu filho: os olhos do ciganinho mudavam de cor, havia dias em que eram verdes e outros em que eram azuis. Muito assustada, a cigana buscou uma explicação com sua shuvani (a mulher mais velha do grupo, uma espécie de sacerdotisa) . A sábia mulher explicou a Carmelita: "O ciganinho Ferran é o verdadeiro camaleão. No entanto, não há motivos para preocupação, porque a vida do seu filho será tão normal quanto a dos outros ciganinhos."

A velha sábia tinha razão. Quando Ferran completou sete anos, a cor de seus olhos se fixou: seu olho direito era azul e o esquerdo verde. Nunca mais houve troca de cores. Nessa idade, ele também começou a ter vidências; muitas delas ajudaram o povo cigano.

Quando Ferran completou dezoito anos, partiu do planeta Terra. Seu corpo foi encontrado à sombra de uma frondosa amoreira e a causa da sua morte nunca foi estabelecida. A partir daí, o grupo cigano ao qual o cigano Ferran pertencia foi envolvido por um mistério: se algum perigo ameaçava o grupo, Ferran aparecia para sua mãe e explicava a maneira pela qual poderia afastar-se dele

.

 Ritual cigano de pedido de abertura de caminhos com o cigano Ferran:

5 pães árabes
5 doces árabes
5 quibes
1 porção de ervilha cozida
1 pitada de sal
1 pimenta-do-reino branca
5 damascos 
5 velas amarelas
1 cesta de vime
papel dourado

 Faça esta oferenda na Lua Crescente.
 Forre a cesta com o papel. Faça uma pasta com a ervilha, junte o sal e a pimenta amassada. Passe essa pasta os pães.
 Passe simbolicamente no corpo os pães, pedindo a abertura de seus caminhos. Coloque-os em pé dentro da cesta, dispostos na volta toda. Repita o ritual com os doces, colocando-os, em seguida, no centro da cesta. Passe, também simbolicamente, os quibes no corpo e arrume-os em volta dos doces. Faça o mesmo com os damascos e coloque cada um junto a um dos pães.
 Leve o material para junto de uma árvore frondosa. Levante cinco vezes a cesta acima de sua cabeça e peça ao cigano Ferran que tire todos os obstáculos de seu caminho. Coloque a cesta no alto da árvore e acenda as velas juntas junto ao pé da mesma.

Até a próxima matéria. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário