sábado, 22 de setembro de 2012

CIGANA DAS FLORES

Por Fernando Coelho e Sandrini

Queridos lobonaltas, tivemos uns contra tempo mas aqui estamos. Já é primavera e hoje vamos falar de uma cigana que tem a mesma sintonia.
 Cigana das Flores, pouco se sabe sobre sua historia quando encarnada. Ela nasceu na primavera, e no acampamento a chamavam de Flor; seu desencarne foi um mistério.
 Hoje ela aparece espiritualmente para algumas pessoas, usa sempre vestidos coloridos, flores nos cabelos e sempre que aparece deixa um maravilhoso perfume de flores no local. Adora trabalhar cuidando do lado sentimental das pessoas. E sempre que precisar de uma ajudinha desta cigana ofereça flores para ela, é interessante que você saiba o significado das flores para fazer o pedido certo. Ela costuma ensinar magias feita com flores, é bem provável que ela te ensine algo quando você der o presente a ela.
 Praticantes de magias que trabalham com esta cigana recebe previsões e informações através de perfumes, é algo que somente eles entendem.
Achei um poema bem bonito sobre essa cigana, e é com esse perfumado poema que desejamos a vocês bons rituais e um bom final de semana.



Cigana das Flores 


A linda cigana das flores
Ajuda todos os amores
Com suas leves cores ,
Que tiram as dores !

Sua pele é alva como um jasmim
Sua alma é meiga como um Serafim !
Seu perfumado hálito de cravo
Liberta qualquer escravo !

A linda cigana das flores
Ajuda todos os amores 


Com suas leves cores ,
Que tiram as dores !

Suas mãos são margaridas ,
Que curam as feridas
Das almas mais sofridas
E das lágrimas caídas !

Seus cabelos são lírios ,
Que causam delírios ,
Nos homens sofridos
E bem arrependidos !

Sua pele macia de princesa
É feita da tulipa holandesa !
Seus olhos curiosos e xeretas
Tem as cores das violetas !
Seu andar em verso e prosas
Possui a magia da rosa !

A linda cigana das flores
Ajuda todos os amores
Com suas leves cores ,
Que tiram as dores !

Seu espírito é um jardim ,
Que tira tudo o que é ruim .

Luciana do Rocio Mallon 

Nenhum comentário:

Postar um comentário