sexta-feira, 13 de junho de 2014

A VIDA DO MESTRE KUTHUMI

Por Fernando Coelho

Mensagem recebida em 20 de outubro de 1999:
"Eu nasci com o dom de ver, através dos olhos espirituais. E saibam, meus irmãos, o quão difícil isso foi para mim. Pois, no lugar das aparentes personalidades, que transitavam em minha vida, eu via as suas essências obscurecidas... as suas dores, os seus conflitos, as suas mentiras...
E na solidão, da minha vida, eu perguntava:
Deus da minha alma, por que me faz isso?
Por que me faz ver o mundo tão feio?
Por que não sou igual aos outros?
Por que me abres essas postas, que não sei fechar?
Por que me deixas sofrer tanto, se vos amo, do fundo da minha alma?
E, um dia, na mais absoluta solidão- eu já não tinha mais vontade de me alimentar e nem de chorar, e nem fé no Altíssimo eu tinha mais- e nesse momento aproximou-se de mim um cão vadio. E esse animal era só Luz. Ele não tinha nenhuma treva, nenhuma escuridão. Ele era Infinita Luz. E sentou-se ao meu lado sem nada pedir, sem olhas minhas vestes. Vestes de um nobre, nem os olhos tristes de quem vê aquilo que não deve ver. Senti vir dele a chama mais calorosa e permeada de amor que nenhuma mulher, nem um amigo, e nem sequer o colo de minha mãe tinham me oferecido.
E assim, abri os meus braços e senti uma gota de liberdade e de esperança brotando dentro de mim.
E eu disse:
Pais, és, então , um cão?
Pai, estás então nos animais?
E neste momento aproximaram-se de mim aqueles pássaros que chegavam nos campos para comer os restos de grãos, e formaram um grande círculo à minha volta. E eu vi luz. E eu vi glória. E eu vi verdade. E eu vi amor.
Foi esta forma que o Divino me tocou e me disse da sua existência.
E se eu não tive mãos humanas capazes de me amar, eu tive a presença de todos aqueles que não precisavam de vestes, de roupas, de luxo, de belezas temporais e de falsos humores. Eu fui amado. Eu lhes digo: Eu fui amado... Muito mais do que eu tive capacidade de amar.
E os que me viram antes de chorar passaram a me ver sorrindo.
E os que me viram antes sofrer passaram a me ver cheio de alegrias.
Passei a alimentas os animais, e me despi de tudo: das minhas vestes, dos meus enganos, dos meus luxos... De todos os excessos... E eu me vesti de luz. Dessa mesma luz que eu tinha tanto medo de fazer brilhar no meu coração. Porque eu não tinha encontrado até então ninguém igual a mim.
eu vi a minha igualdade nos pássaros, nos bichos, nos campos de trigo, na terra fertilizando.
E eu disse, então:
Pai você existe! Eu amo a tu beleza. Eu amo aquilo que eu não compreendo. Eu amo as lições que me ensinas, e o sofirmento que me promoves.
E assim eu me tornei quem eu sou: O Protetor dos Animais.
Mas eu lhes digo: muitas vezes, muitas vezes mesmo, eu fui protegido por eles... e amado... Muitas vezes mais do que eu protegi.
Eu amo a Chama Amarela. Eu amo o Dourado da sua Luz. Eu amo a capacidade de saber com alegria. Saber amar. Saber ver além das vestes. Sentir além dos sentidos. Escutar além das palavras. E expandir além dos mundos.
Tornei-me um mestres, por que amei.
Amei a luz, amei o sol e dele tornei-me irmão. Amei a lua e dela tornei-me irmão também.
Compreendi então as diferenças dos mundos. compreendi os seus enganos. e sem saber que estava sendo, eu fui sábio.
Hoje eu atuo nas esperas de luz. Hoje eu sou um Mestre, porque me chamam assim.
Saibam que frente o Altíssimo ainda o reverencio como um humilde aprendiz. Porque assim eu sou.
Kuthumi é o meu nome.
Abençoo todos vocês. E os chamo para participar e aprender na minha casa. e digo, meus irmãos: aprendam a humildade, que nada tem a ver com o despojamento de bens materiais e, sim, com o despojamento do orgulho.
E amam sem culpa. Amem com liberdade.
Errem sem medo. Errem, porque desejam ousar e aprender.
Vivam em luz, porque um dia souberam de suas trevas.
Observem que a linguagem da Fraternidade Branca é libertadora. Porque mostra a vocês o lado bom da sua própria essência.
A Luz da sua escuridão. A capacidade de amar que está inerente a cada um de vocês.
Serei, sempre, um aprendiz. Porque é sábio o meu coração.
Serei, sempre, um aprendiz. Porque é humilde a minha fé.
Serei sempre um aprendiz. Porque quero sempre mais aprender a amar.
Serei sempre um aprendiz. Porque sei que não estou pronto para ser a experiência crística completa. em mim mesmo.
Eu vos digo: amo a cada um de vocês.
Hoje eu amo. Porque sou capaz de ver, nas suas imperfeições, a sua luz. No seu medo, a sua luz. Na sua raiva, a sua luz.
Que brilhe em Dourado as profundezas da sua Alma.
Fiquem em Paz."
Canalizado por  Maria Silvia P. Orlovas


Um comentário:

  1. Carambaaaaaaaaa!!!!! Ontem li essa mensagem antes de dormir e hoje entro aqui e olha só o que releio! estou com os olhos marejados...

    ResponderExcluir