quinta-feira, 2 de agosto de 2012

VIDAS DE UMA MESMA COR, FINAL

 
Por Fernando Coelho e Victor Augusto de Souza

Ahh, como a energia dos Mestres é maravilhosa!
Parece que foram a 14 dias atrás que começamos a narrar a história de uma das vidas da Mestra Rowena?
Não sei se é a energia dela, ou, se é nossa felicidade em compartilhar, mas amei este trabalho.
Caso não tenha lido a primeira e a segunda parte, clique aqui.
Vamos a última parte da canalização.



VIDA DA MESTRA ROWENA
(Canalizado por Maria Silvia P. Orlovas)

Quem era este Deus?
Quem poderia ser este Deus?
Desta maneira, numa noite solitária, vinha de um jejum prolongado, senti que os laços do corpo se afrouxaram e, sem ser ainda chamada àquilo que vocês conhecem como mundo espiritual, eu lá entrei.
 Senti mais uma vez aquela sensação de equilíbrio.
 Pessoas se aproximaram de mim, explicando que a emoção não é amor, não é o verdadeiro sentimento, e que estava sendo mostrado para mim o que era o verdadeiro sentimento, o verdadeiro amor. Que eu tinha escolhido tanto passar pela pobreza como pela riqueza, ter pais e não ter ninguém, ter pessoas que cuidassem de mim e não ter ninguém que me ajudasse. Explicaram que isso havia sido uma escolha da minha alma para aprender a me centrar.
E neste lugar, fui invadida pela Chama Rosa, e percebi que o seu calor estava me curando de todas as doenças e dores. Fui me sentindo fortalecida, amada, e não mais me importavam as paisagens, os pés vestidos ou descalços, as roupas suntuosas ou os trajes esfarrapados.
 Eu fui inundada por Deus.
 Assim, meus irmãos, eu não digo que ascensionei, digo que fui ascensionada.
 Eu sou Rowena. Venho dizer que compreendo todas as limitações materiais que vocês vivem.
 Venho dizer a vocês que tenho extrema compaixão pela falta de amor que muitos de vocês vivem.
Venho lhes dizer que jamais confundam sentimentos com emoções. Estas são passageiras, e algumas vezes trazem um consolo em forma de paixão, consolo ao corpo, mas jamais à alma.
  Digo a vocês: a alma de vocês deve se apaixonar pelo seu próprio vazio, pela sua própria respiração; Assim, vocês estarão prontos para amar. Amar o outro... O filho, o pai, que até pode não ser o filho ou o pai de sua carne, mas este irmão, que você descobrirá por meio do amor e da paz, será o filho e o pai do seu espírito.
 Venho lhes dizer que o único amor é espiritual.
 Venho lhes dizer que sempre que precisarem e se sentirem perdidos em suas vidas, em sua ideaias e reflexões, peçam por mim. Como amiga, eu virei.
 Nós estamos trabalhando junto a cada um de vocês, junto a cada um daqueles que desejam o despertar. Porque Rosa é o amor, Rosa é a energia que derramo em cada um de vocês.
 Não se envergonhem do seu passado mundano, das suas experiências negativas, dos seus desencontros e dos seus desamores, porque, se assim fizerem, a culpa jamais os libertará.
  Entendam essas experiências como importantes pedras colocadas no caminho, para que vocês possam subir nelas e avistar a paisagem de lá de cima. Vejam sempre a vida de forma positiva.
 Essa é nossa mensagem. A Fraternidade Branca, à qual eu pertenço, está aqui para estender as mãos a vocês e, como irmãos, nós dizemos que os amamos.”

Espero que tenham gostado!
Nos vemos na próxima quinta.
Compartilhe, comente e expanda essa energia.
Shalom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário