segunda-feira, 31 de outubro de 2011

FELIZ SAMHAIN!

Se você não sabe o que fazer hoje, aí está uma boa dica de ritual! Mas lembre-se de que você sempre pode simplificar as coisas. Melhor fazer o simples do que não fazer nada! Aproveito pra lembrar que estou encantando as últimas varinhas e taças para Porto Alegre! Nosso primeiro encontro será dia 2, quarta-feira, às 15:30, na sessão de autógrafos da Feira do Livro. Os livros estarão à venda no estande da Katy Distribuidora e levarei brindes especiais para quem comprar lá A Lua das Fadas, A Vassoura Atrás da Porta e Os Dragões de Titânia! Sim, teremos Dragões de Titânia lá! Renato Rodrigues não poderá ir dessa vez, mas Carolina Mylius, a ilustradora, estará presente autografando! Aproveite!

Para conferir a programação completa de POA,  visite o blog clicando AQUI! Você também pode nos visitar no facebook! Aproveite pra "curtir" e/ou confirmar sua presença!


Há dias especiais chamados dias de poder na wicca. São momentos em que portais são abertos ou que as forças místicas ficam mais próximas da Terra. Há uma grande confusão com esses dias. Eles foram criados por um povo que vive no Hemisfério Norte e a grande maioria dos livros foi simplesmente traduzida e não adaptada, o que causa dúvidas. Esses dias de poder estavam relacionados com as transições de estações, tornando-as diferentes para nós, do Hemisfério Sul. O problema é que essas mudanças causam algum choque. Para as datas desconhecidas, tudo bem, mas o que fazer com um Samhain, o Halloween, que já faz parte nas nossas festividades?
Os sabats datam a passagem dos equinócios e solstícios, que variam a cada ano (assim, você encontrará datas ligeiramente diferentes em fontes diversas). Bem, eu fiz várias experiências durante anos e cheguei a uma Roda Mista, praticada apenas por alguns por ser considerada pouco ortodoxa. Todas as datas que se baseiam nos soltícios e equinócios (ou momentos da estação, como Litha), eu uso a Roda Sul, ou seja, uso as datas do Hemisfério Sul. Para todas as outras, eu mantenho a Roda Norte. O Samhain, por exemplo, já tem toda a carga de energia dos antepassados, pois na mesma época temos Finados, o Dia dos Mortos e a Véspera de Todos os Santos, todos com a mesma energia.
A seguir, vamos conhecer os principais dias de poder do nosso calendário místico e que tipo de rituais devemos realizar.



O Samhain

É o Ano Novo Celta ou Noite dos Antepassados, o Halloween é o dia da abertura dos portais, quando o véu entre os mundos se ergue. É um bom momento para comunhão, pedidos e até comunicação com amigos que estejam do outro lado do véu. A seguir, um ritual específico para este dia de poder.

Ritual da Noite dos Antepassados

Você pode realizar este ritual só ou em companhia de outros magos e bruxas.

Você vai precisar de:

Um pedaço bonito de pão num prato branco
Um pouco de açúcar num pires branco
Sal grosso
Um cálice de vinho tinto
Um cálice de água
Quatro velas para os elementos
Quatro pedras ou cristais
Incenso
Uma vela branca
Uma vela vermelha
Duas velas pretas (ou violetas, se você preferir)
Uma vela amarela
Uma vela verde
Castiçais (ou pires brancos, se não tiver).
Seu material mágico, se tiver (caldeirão, espada, athame, vara etc...)

Atenção: o material que não for mencionado durante o ritual deve permanecer no altar. Neste dia, você pode realizar outras magias depois do ritual, especialmente de adivinhação e visualização.

Faça o círculo mágico. Apesar do círculo mágico ser geralmente opcional, neste ritual é bastante aconselhável que o utilize. Nessa noite, os portais entre os mundos estão abertos e você deve limitar a entrada de seres não convidados no seu ambiente de operação.

Feito o círculo, inicie o ritual. As velas dos elementos já estão acesas, assim como o incenso. Diante de você, no seu altar (ou num pano no chão, caso não tenha) está seu material mágico. A arrumação fica a seu critério, mas as velas têm sua posição específica, a saber:

A vela branca, a vermelha e uma das negras estarão do lado esquerdo do altar.

As vela verde, a amarela e a outra negra ou violeta estarão do lado direito.

Vire-se para as três velas do lado esquerdo do altar e diga:

Grande Deusa em sua tríplice forma, eu vos saúdo e honro teus três aspectos:

Acendendo a vela branca, diga:

Deusa da juventude, donzela e virgem, nascimento e alvorecer, semente plantada e início de tudo.

Acendendo a vela vermelha, diga:

Grande Mãe, senhora da abundância e da fartura, da fertilidade, do conhecimento e do amor incondicional.

Acendendo a vela negra, diga:

Sombria Idosa, fim dos ciclos para o começo de outros, sábia deusa da noite, da morte e do renascimento, da sabedoria do tempo.

Mostre suas mãos abertas e erga-as na direção das velas, dizendo:

Eu aceito e acolho a deusa em todas as suas formas.

Agora, volte-se para o lado direito do altar e diga:

Acendo as três velas para o deus triplo, senhor das muitas faces.

Acenda a vela amarela, dizendo:

Rei Sol dourado e brilhante, deus da abundância e do sucesso.

Acenda a vela verde, dizendo:

Senhor dos bosques e do verde, das florestas e dos animais, da fertilidade e do crescimento.

Acenda a vela negra, dizendo:

Deus do submundo, da proteção e do
descanso.

Erga suas mãos espalmadas:

Eu saúdo e acolho o deus em todas as suas formas.

Erga seus braços para o altar e diga alto:

Que caiam os véus, que se abram os portais. Aqueles que trazem a luz em si, que me desejam apenas o bem, que trazem a bondade como coração, que sejam bem vindos ao meu círculo mágico. Eu os convido a partilhar comigo este pão sagrado e este vinho.

Coloque o prato com pão sobre seu pantáculo (pode ser o pentagrama, ou outro símbolo mágico que você tenha adotado.) Se você não tiver um pantáculo, basta colocar o pão no altar, entre os dois grupos de velas.

Peço à deusa e ao deus que abençoem este alimento, que o purifiquem e o tornem sagrado.

Faça alguns minutos de meditação, pensando em tudo o que você deseja de bom para você e os seus. Justiça, fartura, trabalho, saúde, energia, amor, pense em tudo.

Erga o prato com as duas mãos acima da sua cabeça, em direção ao céu e diga:

Que os anjos, fadas, dragões e espíritos amigos estejam comigo e aceitem meu convite para esta comunhão.

Você pode invocar os nomes específicos das deidades aqui aqui. Eu trabalho com os anjos, então chamo-os pelos nomes. Todos os rituais deste livro referem-se ao deus e à deusa, mas você pode lhes dar os nomes que sua linha indicar, sem o menor problema.

Coloque o prato de volta no altar, mas fora do centro. Pegue o pratinho com açúcar e coloque-o sobre o pantáculo (ou no centro do altar). Faça uma meditação de alguns minutos enquanto a energia mágica impregna o ambiente.

Atenção: nesse caso, você pode utilizar sal, mas o pão deve ser salgado também. O sal tem a propriedade de atrair as forças mágicas para si e age também como agente purificador, enquanto que o açúcar tem a propriedade de “adoçar” sua vida. Também já percebi que o gosto pelo sal ou pelo açúcar varia de pessoa pra pessoa. No meu caso, prefiro usar açúcar, cujos efeitos mágicos são notórios em minha vida. Um efeito colateral interessante é a intensidade com que este elemento atrai crianças e espíritos infantis. Neste ritual, o uso do sal ou açúcar fica a seu critério.

Erga o pratinho acima da sua cabeça e diga:

Peço à deusa e ao deus que abençoem este alimento, que o purifiquem e o tornem sagrado.

Com a mão dominante, espalhe o açúcar sobre o pão, mentalizando coisas doces na sua vida.

Pegue o cálice de vinho. Coloque-o sobre o pantáculo ou no altar, faça uma meditação de alguns minutos. Então erga-o acima de sua cabeça e diga:

Peço à deusa e ao deus que abençoem este alimento, que o purifiquem e o tornem sagrado.

Feito isso, agradeça tudo de bom que seus amigos invisíveis têm feito por você e peça-lhes que o acompanhem nesta humilde refeição, trazendo muita alegria, fartura, saúde e amizades neste ano que se inicia. Retire um pedacinho do pão e coma-o. Tome um pouco do vinho. É a hora de servir os outros magos e bruxas. Se houver convidados não iniciados, eles também são servidos, normalmente.
Variações

Agora vamos às variações de como encerrar este ritual. Eu costumo sentar-me, colocar boa música celta e conversar alegremente com meus amigos convidados do outro mundo. Pra isso, eu sirvo um pedaço de pão e uma outra taça de vinho que ficarão no altar durante vários dias. O vinho tomado, assim como o pão, é sagrado e muito poderoso. A energia é claramente sentida no local. Quando terminar, agradeça e encerre as operações mágicas da mesma forma como encerra o círculo do poder. Alimentos que podem ser servidos neste ritual incluem pratos à base de abóbora, gengibre, milho, castanhas, nabos, beterrabas, vinhos, cidras, sucis, carne, tofu (se for vegetariano), bolos e doces.

Outra forma de terminar o ritual é de uma forma mais cerimonial. Vire-se para as velas da direita e diga:

Este ciclo terminou, a roda girou, agradeço à deusa seu amor e sua paciência que me acompanharam ao longo deste ano.

Vire-se para as velas da esquerda:

Este ciclo terminou, mais um ano se passou. Agradeço ao deus que me defendeu com sua espada dos que me quiseram mal.

Toque com sua varinha no pantáculo ou no altar. Erga-a e mentalize o que deseja atrair para sua vida neste ano. Terminada a mentalização, diga:

Meu Deus e minha Deusa, mostrem-me o caminho, guiem-me e protejam-me, cubram-me com teu amor e que eu seja merecedor de sua bondade. Eu agradeço a todos que aqui estiveram e me ajudaram a concluir este ritual.

Encerre o ritual e desfaça o círculo.

Você pode deixar o que sobrou do pão e do vinho no altar e depois deixar num lugar verde. Caso não tenha um altar onde possa fazer isso, deite o alimento num local verde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário